Home Notícias Não É Verdade A verdade sobre a história da exploração do nióbio no Brasil

Mídias Sociais

Facebook Twitter RSS Feed 

Newsflash

Ciências Sem Fronteira manda 6,7 mil pesquisadores brasileiros para o exterior

Mais de 6,7 mil brasileiros já foram beneficiados pelo programa Ciências Sem Fronteira, que financia estudos para pesquisadores no exterior. Os dados fazem parte de balanço, divulgado pelo ministro de Educação (MEC), Aloizio Mercadante.

Leia mais...
Follow us on Twitter

Quem está on-line

Nós temos 68 visitantes online
Banner
Banner
A verdade sobre a história da exploração do nióbio no Brasil PDF Imprimir E-mail
Escrito por Marcio Leal   
Qua, 28 de Dezembro de 2011 12:37

- Você sabe onde fica a maior mina de Nióbio do Brasil e do mundo? Eu respondo! Ela fica em Minas Gerais, próximo de Araxá.

- Você sabe quem é o dono da mina? Não? Eu revelo! O proprietário dos direitos de lavra é o Governo do Estado de Minas Gerais, através da estatal CODEMIG.

- Você sabe quem explora este minério e o comercializa? Eu explico:

1 - É a Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração - CBMM - do Grupo Moreira Salles, que extrai, processa, fabrica e comercializa produtos à base de nióbio. Uma Conta de Participação nos Lucros entre a estatal CODEMIG e a CBMM garante a exploração do depósito de nióbio de Araxá.

2 - O contrato concede 75% de participação nos lucros operacionais da CBMM ao Grupo Moreira Salles.

3 - Na verdade, a multinacional que está por trás do Grupo Moreira Salles e a quem o grupo serve, como "testa de ferro" no Brasil, desde os anos 50, é a multinacional norteamericana Molycorp, inc. A Molycorp domina o mercado mundial de terras raras

Muito importante

O Nióbio brasileiro ganhou notoriedade em 2010, quando documentos do governo norteamericano, vazados pelo Wikileaks, incluíram as minas de Araxá (MG) e Catalão (GO) no mapa de áreas estratégicas para os ,EUA, o que vem levando grupos nacionalistas a organizar o movimento "o nióbio é nosso", a exemplo do que foi feito com o petróleo no passado. Isso porque o Brasil é o maior produtor do mineral, com 96% da produção mundial, e daqui partem 80% do nióbio importado pelos EUA e 75% do Nióbio usado em todo o mundo.

Portanto, é o governo do PSDB de Minas Gerais quem entrega o nióbio brasileiro para os norteamericanos, como fizeram com todas as privatizações ou parcerias, em que meteram as mãos.

Dez/2011

Luiz Fernando Carceroni

Professor de Física

Belo Horizonte

=======================

Confira em: http://www.comig.com.br/site/content/parcerias/parcerias_detalhe.as...

MINERAÇÃO DE NIÓBIO - CBMM

Mineração de Nióbio, em Araxá

A Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM) é o maior complexo mínero-industrial de nióbio de todo o mundo. A jazida de nióbio da Codemig está arrendada à empresa, por meio da Comipa, empresa criada para gerenciar jazidas de nióbio pertencentes às duas companhias.

O nióbio produzido em Araxá responde por 75% de toda a produção mundial. Sua produção anual é de 70 mil toneladas da liga de ferronióbio. O nióbio de Araxá tem reserva para ser explorado por mais de 400 anos.

A aplicação mais importante do nióbio é como elemento de liga para conferir melhoria de propriedades em produtos de aço, especialmente nos aços de alta resistência e baixa liga usados na fabricação de automóveis e de tubulações para transmissão de gás sob alta pressão. É utilizado, ainda, em superligas que operam a altas temperaturas, em turbinas de aeronaves a jato, entre outras finalidades. Existem somente três minas em todo o mundo.

Ampliação

R$250 milhões é o investimento previsto na ampliação do complexo industrial de Araxá, que vai preparar a CBMM para a produção de até 110 mil toneladas anuais de ferronióbio. O objetivo é atender o avanço da grande demanda mundial por aços de melhor qualidade e por nióbio.

Pela programação da CBMM, o aumento da produção de ferronióbio se dará em três etapas: salta para 75 mil toneladas anuais a partir do primeiro trimestre de 2008 e para 90 mil em 2009. Ao final da expansão de todo o complexo, a CBMM estará preparada para produzir até 110 mil toneladas por ano de ferronióbio.

Em 2006, as vendas externas mineiras de ferronióbio totalizaram US476,723 milhões, o equivalente a uma produção de 51.914 toneladas. A CBMM é uma empresa do Grupo Moreira Sales, fundada em 1955, e a totalidade de seu capital é nacional.

=======================

O email enviado,abaixo, relata inverdades e incorre em omissões muito graves.

-----Mensagem Original-----
De: sheila rosa
Para: undisclosed recipients:
Enviada em: sábado, 24 de dezembro de 2011 17:07
Assunto: Enc: Porque o POVO BR ASILEIRO NÃO SABE O QUE É NIÓBIO?

Não sabemos exatamente pelo mesmo motivo que o petróleo está sendo " dado " e não , tratado como estrat´gico, ou seja : o interesse e a pressão das multinacionais que compram a mídia e os políticos para serví-las !!!!!!!!!!!!

Triste !!!!!!

É HORA DE COMEÇAR A FAZER-MOS ALGO DE POSITIVO.....

POR QUE O POVO BRASILEIRO NÃO SABE O QUE É NIÓBIO?

Nióbio, o metal que só o Brasil fornece ao mundo. Uma riqueza que o povo brasileiro desconhece, e tudo fazem para que isso continue assim.

Como é possível o fato do Brasil ser o único fornecedor mundial de nióbio (98% das jazidas desse metal estão aqui), sem o qual não se fabricam turbinas, naves espaciais, aviões, mísseis, centrais elétricas e super aços; e seu preço para a venda, além de muito baixo, seja fixado pela Inglaterra, que não tem nióbio algum?

EUA, Europa e Japão são 100% dependentes do nióbio brasileiro. Como é possível em não havendo outro fornecedor, que nos sejam atribuídos apenas 55% dessa produção, e os 45% restantes saindo extra-oficialmente, não sendo assim computados.

Estamos perdendo cerca de14 bilhões de dólares anuais, e vendendo o nosso nióbio na mesma proporção como se a Opep vendesse a 1 dólar o barril de petróleo. Mas petróleo existe em outras fontes, e o nióbio só no Brasil; podendo ser uma outra moeda nossa. Não é uma descalabro alarmante?

O publicitário Marcos Valério, na CPI dos Correios, revelou na TV para todo o Brasil, dizendo: “O dinheiro do mensalão não é nada, o grosso do dinheiro vem do contrabando do nióbio”. E ainda: “O ministro José Dirceu estava negociando com bancos, uma mina de nióbio na Amazônia”.

Ninguém teve coragem de investigar… Ou estarão todos ganhando com isso? Soma-se a esse fato o que foi publicado na Folha de S. Paulo em 2002: “Lula ficou hospedado na casa do dono da CMN (produtora de nióbio) em Araxá-MG, cuja ONG financiou o programa Fome Zero”.

As maiores jazidas mundiais de nióbio estão em Roraima e Amazonas (São Gabriel da Cachoeira e Raposa – Serra do Sol), sendo esse o real motivo da demarcação contínua da reserva, sem a presença do povo brasileiro não-índio para a total liberdade das ONGs internacionais e mineradoras estrangeiras.

Há fortes indícios que a própria Funai esteja envolvida no contrabando do nióbio, usando índios para envio do minério à Guiana Inglesa, e dali aos EUA e Europa. A maior reserva de nióbio do mundo, a do Morro dos Seis Lagos, em São Gabriel da Cachoeira (AM), é conhecida desde os anos 80, mas o governo federal nunca a explorou oficialmente, deixando assim o contrabando fluir livremente, num acordo entre a presidência da República e os países consumidores, oficializando assim o roubo de divisas do Brasil.

Todos viram recentemente Lula em foto oficial, assentado em destaque, ao lado da rainha da Inglaterra. Nação que é a mais beneficiada com a demarcação em Roraima, e a maior intermediária na venda do nióbio brasileiro ao mundo todo. Pelo visto, sua alteza real Elizabeth II demonstra total gratidão para com nossos “traíras” a serviço da Coroa Britânica. Mas, no andar dessa carruagem, esse escândalo está por pouco para estourar, afinal, o segredo sobre o nióbio como moeda de troca, não está resistindo às pressões da mídia esclarecida e patriótica.

Cadê a OAB, o MFP, o Congresso Nacional?

O nióbio apresenta numerosas aplicações. É usado em alguns aços inoxidáveis e em outras ligas de metais não ferrosos. Estas ligas devido à resistência são geralmente usadas para a fabricação de tubos transportadores de água e petróleo a longas distâncias.

Usado em indústrias nucleares devido a sua baixa captura de nêutrons termais.

Usado em soldas elétricas.

Devido a sua coloração é utilizado, geralmente na forma de liga metálica, para a produção de jóias como, por exemplo, os piercings.

Quantidades apreciáveis de nióbio são utilizados em superligas para fabricação de componentes de motores de jatos , subconjuntos de foguetes , ou seja, equipamentos que necessitem altas resistências a combustão. Pesquisas avançadas com este metal foram utilizados no programa Gemini.

O nióbio está sendo avaliado como uma alternativa ao tântalo para a utilização em capacitores.

O nióbio se converte num supercondutor quando reduzido a temperaturas criogênicas. Na pressão atmosférica, tem a mais alta temperatura crítica entre os elementos supercondutores, 9,3 K. Além disso, é um dos três elementos supercondutores que são do tipo II ( os outros são o vanádio e o tecnécio ), significando que continuam sendo supercondutores quando submetidos a elevados campos magnéticos.

EM TEMPO;

Muitos que receberão este e-mail simplesmente dirão: o que eu tenho a ver com Nióbio? E esquecem de ver o LADO PODRE desta questão: gente do governo envolvida com desvios desse mineral e comendo por fora.

Gente graúda, lá da cabeceira do Governo Federal e órgãos como a FUNAI. Leia e repasse, vamos tentar acabar com mais essa fonte de roubalheira.

Fonte: Mensagem recebida por e-mail em 27/12/2011

 

 
 
Banner
Banner