Home Notícias Internacional No Irã, 5,3 mil se candidatam às primeiras eleições parlamentares desde a reeleição de Ahmadinejad

Mídias Sociais

Facebook Twitter RSS Feed 

Newsflash

Dilma, La Fuerte

Não resta a menor dúvida: a presidente Dilma Rousseff foi a grande estrela da Cúpula Ibero Americana, realizada em Cádiz, na Espanha. Neste domingo, o jornal El Pais, maior diário espanhol, dedica uma página inteira à líder política que a publicação qualifica como "Dilma, la fuerte". E o relato foi feito por ninguém menos que Juan Luís Cebrián, presidente do grupo Prisa, que edita o El Pais (leia aqui a íntegra em espanhol).

Leia mais...
Follow us on Twitter

Quem está on-line

Nós temos 38 visitantes online
Banner
Banner
No Irã, 5,3 mil se candidatam às primeiras eleições parlamentares desde a reeleição de Ahmadinejad PDF Imprimir E-mail
Escrito por Marcio Leal   
Dom, 01 de Janeiro de 2012 19:22

A três meses das eleições parlamentares no Irã, 5,3 mil pessoas já se inscreveram como candidatas, das quais 390 são mulheres. As eleições estão marcadas para 2 de março. Porém, no Irã, as candidaturas devem ser submetidas à análise do Conselho dos Guardiões – formado por religiosos e juristas – que define quem pode concorrer aos 290 assentos do Parlamento.

<Irã
As eleições parlamentares estão marcadas para 2 de
março no Irã, e 5,3 mil pessoas já se inscreveram como
candidatas, das quais 390 são mulheres

Os dados foram confirmados pelo Ministério do Interior iraniano. De acordo com a legislação iraniana, os candidatos devem ser cidadãos iranianos, ter de 30 a 75 anos, formação universitária, jurar fidelidade à Constituição e reconhecer a autoridade absoluta do líder supremo, o ayatollah Ali Khamenei.

As eleições de março serão as primeiras disputas eleitorais desde as presidenciais de 2009, em que Mahmoud Ahmadinejad foi reeleito presidente da República. Na ocasião, houve informações sobre suspeitas no processo eleitoral e manifestações em algumas cidades iranianas. Os protestos geraram embates entre policiais e manifestantes, que foram reprimidos.

No Irã, o Parlamento é dominado pelos conservadores. Ahmadinejad tem a maioria no Parlamento. O Irã é alvo de sanções da comunidade internacional devido ao programa nuclear desenvolvido no país, pois há suspeitas da produção de bombas atômicas na região. As autoridades iranianas negam as suspeitas e rebatem as restrições ao país.

Fonte: Correio do Brasil, em 31/12/2011

 
 
Banner
Banner