Home Notícias Infraestrutura "Vamos quitar a dívida do Brasil com áreas rurais que não têm internet", diz Bernardo

Mídias Sociais

Facebook Twitter RSS Feed 

Newsflash

Dilma, La Fuerte

Não resta a menor dúvida: a presidente Dilma Rousseff foi a grande estrela da Cúpula Ibero Americana, realizada em Cádiz, na Espanha. Neste domingo, o jornal El Pais, maior diário espanhol, dedica uma página inteira à líder política que a publicação qualifica como "Dilma, la fuerte". E o relato foi feito por ninguém menos que Juan Luís Cebrián, presidente do grupo Prisa, que edita o El Pais (leia aqui a íntegra em espanhol).

Leia mais...
Follow us on Twitter

Quem está on-line

Nós temos 40 visitantes online
Banner
Banner
"Vamos quitar a dívida do Brasil com áreas rurais que não têm internet", diz Bernardo PDF Imprimir E-mail
Escrito por Marcio Leal   
Qui, 23 de Fevereiro de 2012 18:24

“Esta tecnologia será importante para que se possa quitar a dívida que o Brasil tem com algumas áreas rurais do país que hoje não têm acesso à internet”. Foi o que disse o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, durante cerimônia que marcou o início dos testes de uso da faixa de 450 MHz. O evento ocorreu numa escola rural do município de Morretes, no Paraná.

No primeiro teste, o próprio ministro usou um telefone móvel operando em 450 MHz para ligar de Morretes para Brasília e conversar com a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann. Em seguida, Bernardo fez o teste de transmissão de dados utilizando um notebook para navegar na internet, acessando a página do Ministério das Comunicações. O ministro também realizou uma ligação, a partir de telefone fixo, para o seu gabinete, na capital federal.

O presidente da Anatel, João Rezende, que também participou da cerimônia, enfatizou que “garantir o acesso à informação será importante para melhorar as condições de vida da população rural do país”.

“Estamos fazendo parte da história da cobertura em regiões distantes do país, cobrindo com uma tecnologia nova que acreditamos que possa fazer uma diferença importante em um país de dimensões continentais como é o nosso”, afirmou o presidente da Oi, Francisco Valim, empresa responsável pelos testes na frequência de 450 MHz.

O teste feito em Morretes visa uma contribuição da empresa Oi à consulta pública nº 4/2012, promovida pela Anatel, sobre o edital de utilização desta frequência em áreas rurais. Nesta primeira demonstração, uma estação radiobase móvel (ERB) enviou dados e voz para a escola, que foi equipada com um modem conectado a um terminal telefônico e a dois computadores. O modem é um modelo FT 8090 da Huawei, empresa parceira da Oi no experimento, ao lado da AsiaTel.

Os testes foram realizados na presença de cerca de cem pessoas, entre técnicos e representantes do Ministério das Comunicações, da Oi, da Anatel, da Prefeitura de Morretes, da Huawei e da AsiaTel. Também estiveram presentes cerca de 40 crianças de escolas rurais do município.

A principal questão econômica a ser avaliada, como decorrência dos testes, segundo a empresa responsável pelos testes, é a quantidade de torres que será necessária para uma ampla cobertura rural e o total do investimento. Técnicos do setor avaliam que o uso de uma torre em cada distrito rural, nos 5.565 municípios brasileiros, já propiciaria uma ampla cobertura rural, com 17.283 torres. Mas como os relevos apresentam vários obstáculos ao sinal, para garantir uma cobertura ainda mais ampla, podem ser necessárias torres em locais como morros sem estrada ou energia, o que poderia, no limite, impactar o objetivo de prestação de serviços a preços baixos. Essa equação pode ser melhor formulada com os resultados dos testes.

A Oi vai fazer outros testes técnicos para mensurar itens como o desempenho da propagação do sinal, níveis de potência e velocidade de transmissão de dados na frequência 450 MHz, em regiões com topografias diferentes, nas cidades de Antonina e Realeza, também no Paraná; em São Sebastião e Sobradinho, no Distrito Federal; e em Manaus, capital do Amazonas. O objetivo dos testes é conhecer o desempenho da transmissão por esta frequência em três relevos típicos do território brasileiro: as áreas montanhosas, as extensões planas do Planalto Central e a Floresta Amazônica.

Fonte: PT Paraná, em 17/02/2012

 

LEIA TAMBÉM:

 
 
Banner
Banner