Home Notícias Infraestrutura Marco regulatório das comunicações sai para consulta ainda este semestre, diz Paulo Bernardo

Mídias Sociais

Facebook Twitter RSS Feed 

Newsflash

Ciências Sem Fronteira manda 6,7 mil pesquisadores brasileiros para o exterior

Mais de 6,7 mil brasileiros já foram beneficiados pelo programa Ciências Sem Fronteira, que financia estudos para pesquisadores no exterior. Os dados fazem parte de balanço, divulgado pelo ministro de Educação (MEC), Aloizio Mercadante.

Leia mais...
Follow us on Twitter

Quem está on-line

Nós temos 56 visitantes online
Banner
Banner
Marco regulatório das comunicações sai para consulta ainda este semestre, diz Paulo Bernardo PDF Imprimir E-mail
Escrito por Marcio Leal   
Qua, 18 de Abril de 2012 00:03

O ministro das comunicações, Paulo Bernardo, reiterou nesta terça, 17, que o marco regulatório da mídia terá questões relativas às telecomunicações. Segundo o ministro, a consulta pública deverá sair ainda no primeiro semestre e trará a discussão sobre a neutralidade de rede e sobre os bens reversíveis.

O Marco Civil da Internet que está sendo debatido no Congresso Nacional já vai discutir a questão da neutralidade de rede. A ideia é que o marco regulatório traga detalhes em relação a esse assunto. “Mesmo que se defina alguma coisa no Marco Civil, acho que tem que ser coerente com o que nós estamos planejando. Acho que essa questão é maior do que está colocada nesse projeto”, disse o ministro.

Ao que tudo indica, o marco regulatório também marcará o início da discussão sobre o fim das concessões em 2025. “Estamos cogitando levantar discussão sobre reversibilidade até porque isso é colocado como um fetiche, como se reversibilidade pudesse resolver todos os problemas. Isso é bem complexo, quando vencerem as concessões nós vamos recomprar os bens e nós não queremos pagar caro por uma infraestrutura defasada”, disse ele.

Se o marco regulatório da mídia já era um assunto complexo que demandaria anos de debate no Congresso Nacional, a inclusão de temas cruciais das telecomunicações poderá alongar ainda mais esse período. O próprio ministro reconhece que essa discussão é urgente, mas “não vamos resolver isso rapidamente”. Ele lembrou que a discussão da Lei 12.485/2011 demorou quase cinco anos no Congresso e o Marco Civil da Internet ficou cerca de um ano sendo debatido pelo Ministério da Justiça antes de ser enviado ao Congresso. O ministro participou do Seminário Tele.Sintese que acontece em Brasília.

Fonte: Tela Viva, em 17/04/2012

 

LEIA TAMBÉM:

 
 
Banner
Banner