Home Notícias Internacional Angela Merkel aprova salários maiores na Alemanha

Mídias Sociais

Facebook Twitter RSS Feed 

Newsflash

Congresso aprova LDO que fixa salário mínimo em R$ 667,75 e entra em recesso parlamentar

O Congresso Nacional aprovou ontem o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO-2013) que aumenta a capacidade de investimentos públicos no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para o próximo ano, fixados em R$ 45,2 bilhões, mais do que os R$ 44,2 bilhões do orçamento de 2012. Além disso, no texto aprovado, o salário mínimo, atualmente em R$ 622,00, é previsto para R$ 667,75 em 2013. Antes de passar pelo plenário, a LDO foi aprovada pela Comissão Mista de Orçamento (CMO), depois de um acordo entre governo e oposição.

Leia mais...
Follow us on Twitter

Quem está on-line

Nós temos 73 visitantes e 1 membro online
  • ritaslut
Banner
Banner
Angela Merkel aprova salários maiores na Alemanha PDF Imprimir E-mail
Escrito por Marcio Leal   
Dom, 03 de Junho de 2012 19:17

A chanceler Angela Merkel aplaudiu os acordos que conduziram a um aumento dos salários na Alemanha e sinalizou flexibilidade a para um imposto sobre transações financeiras neste sábado, num sinal de que está aberta a novas medidas para impulsionar o crescimento na Europa.

Um dia após a Alemanha dizer que é a favor de estender por um ano o prazo para que a Espanha reduza seu déficit a 3 por cento de seu Produto Interno Bruto (PIB), Merkel enviou a mensagem de que está disposta a ceder às exigências do Partido Social-Democrata (SPD, na sigla em alemão), de oposição, e de parceiros europeus em outras áreas.

Mas ela mais uma vez rejeitou a ideia de que a emissão conjunta de bônus para toda a zona do euro é uma solução para a crise, e disse que deveria ser possível processar países que violem regras fiscais no Tribunal de Justiça da União Europeia.

Os comentários, que ocorreram numa conferência de seu partido, a União Democrata Cristã, em Berlim, mostram que ela está pronta para dar ouvidos a pedidos de que a Alemanha tome mais medidas com o objetivo de incentivar o crescimento, mas quer que outros países da zona do euro aceitem abrir mão de soberania sobre seus orçamentos, em troca.

“Você não pode pedir eurobônus se não está preparado para, então, dar os próximos passos em direção a uma integração mais próxima”, disse. “Não seremos capazes de criar uma moeda bem-sucedida dessa maneira”.

Em um aceno ao SPD, que está ameaçando atrasar a aprovação do novo pacto sobre disciplina fiscal de Merkel, ela disse que pela primeira vez está aberta à introdução de um imposto sobre transações financeiras nos estados da zona do euro que apoiam sua criação.

Merkel elogiou os acordos que conduziram a salários relativamente altos para trabalhadores alemães neste ano, aumentos que economistas acreditam que impulsionarão o consumo doméstico na maior economia da Europa.

Fonte: Correio do Brasil, em 02/06/2012

 

LEIA TAMBÉM:

 
 
Banner
Banner