Home Notícias Governo Dilma Ciências Sem Fronteira manda 6,7 mil pesquisadores brasileiros para o exterior

Mídias Sociais

Facebook Twitter RSS Feed 

Newsflash

Luiz Dulci: Ampliação da participação social foi maior legado de governo democrático e popular

Na abertura da mesa, o presidente da Central, Artur Henrique, e o ex-ministro da Secretaria Geral da Presidência da República e Diretor do Instituto Lula, Luiz Dulci, fizeram um balanço dos governos populares de Lula e Dilma em contraposição ao período neoliberal que os antecedeu.

Leia mais...
Follow us on Twitter

Quem está on-line

Nós temos 75 visitantes e 5 membros online
  • rsivlersivler
  • Donaldreumb
  • Dannyvah
  • Davidnab
Banner
Banner
Ciências Sem Fronteira manda 6,7 mil pesquisadores brasileiros para o exterior PDF Imprimir E-mail
Escrito por Marcio Leal   
Seg, 23 de Julho de 2012 14:51

Mais de 6,7 mil brasileiros já foram beneficiados pelo programa Ciências Sem Fronteira, que financia estudos para pesquisadores no exterior. Os dados fazem parte de balanço, divulgado pelo ministro de Educação (MEC), Aloizio Mercadante.

Projeto entrou em vigor no País em dezembro do ano passado e tem a meta de oferecer 101 mil bolsas de graduação e pós-graduação até 2015.

Em setembro, mais 12 mil alunos embarcam para o exterior para fazer um ano da graduação em instituições de 12 países: Alemanha, Austrália, Bélgica, Canadá, Coreia, Espanha, Estados Unidos, França, Holanda, Itália, Portugal e Reino Unido. Para este ano, a previsão é a concessão de 20 mil bolsas.

O programa Ciência sem Fronteiras foi lançado em dezembro de 2011 pela presidente Dilma Rousseff. A iniciativa é coordenada pelo MEC e Ministério da Ciência e Tecnologia e Inovação (MCTI).

A meta do projeto é oferecer 101 mil bolsas de graduação e pós-graduação até 2015, sendo 75 mil bancadas pelo próprio governo federal

Mercadante informou que os próximos editais do Ciência sem Fronteiras serão lançados no final deste mês. Serão oferecidas bolsas para graduação sanduíche nos 12 países que receberão os bolsistas em setembro, e também na China.

Fonte: ComputerWorld, em 13/07/2012

 

LEIA TAMBÉM:

 
 
Banner
Banner