Home Desgoverno da Oposição Modus Operandi A confissão de Jefferson: mensalão foi coação ao PT

Mídias Sociais

Facebook Twitter RSS Feed 

Newsflash

Fundação Palmares e Ministério das Relações Exteriores lançam o Edital Conexão Brasil-África

“A partir de hoje, a sociedade civil brasileira estará mais próxima do continente que nos deu o sentido de brasilidade e de nação”. Foi com essa afirmação que o presidente da Fundação Cultural Palmares (FCP), Eloi Ferreira de Araujo, deu início à cerimônia de assinatura do Protocolo de Intenções e Programa de Parceria: Cooperação Sul-Sul Conexão Brasil-África, firmado entre a Palmares e a Agência Brasileira de Cooperação do Ministério das Relações Exteriores (ABC/MRE).

Leia mais...
Follow us on Twitter

Quem está on-line

Nós temos 57 visitantes e 1 membro online
  • SeoOvase
Banner
Banner
A confissão de Jefferson: mensalão foi coação ao PT PDF Imprimir E-mail
Escrito por Marcio Leal   
Dom, 12 de Agosto de 2012 20:41

Nesta segunda-feira, com a retomada da apresentação das defesas na Ação Penal 470, haverá uma grande surpresa. O advogado Luiz Francisco Corrêa Barbosa, que defende Roberto Jefferson, dirá que os recursos entregues pelo PT ao PTB, R$ 4 milhões ao todo, diziam respeito a um acordo para financiamento de campanhas municipais em 2004. Ou seja: ele negará a tese do mensalão e da compra de votos de parlamentares, que havia sido denunciada pelo próprio Jefferson.

A confissão de Jefferson: mensalão foi coação ao PT

O ponto mais surpreendente foi antecipado pelo advogado de Jefferson, numa entrevista ao portal iG. Corrêa Barbosa afirmou que existem dois conceitos de mensalão. A mesada, supostamente paga a parlamentares, foi, segundo ele, um “objeto de coação”. Ou seja: Jefferson, que se dizia pressionado pelo partido, criou a palavra como figura retórica para se vingar de seus algozes. O segundo conceito é o caixa dois, como já admitido por réus, como Delúbio Soares.

Na semana passada, o presidente do PTB já fez essa revelação ao dizer “José Dirceu me derrubou, mas livrei o Brasil dele”. Essa “vingança” mobiliza o debate político no Brasil há sete anos e boa parte da acusação de compra de votos está ancorada no testemunho de um personagem que, agora, desdiz tudo o que havia dito.

Fonte: Brasil 247, em 12/08/2012

 

LEIA TAMBÉM:

 
 
Banner
Banner