Home Campanha Dilma 2010 Como foi a campanha Beatriz Fagundes :: A Presidenta

Mídias Sociais

Facebook Twitter RSS Feed 

Newsflash

Revitalização da indústria naval desperta interesse mundial

A indústria naval do mundo inteiro e os fabricantes de equipamentos para o setor acompanham com interesse o mercado que mais tem se desenvolvido nos últimos anos, tanto na construção de navios como nas encomendas de sondas e plataformas para exploração marítima de petróleo, na camada pré-sal.

Leia mais...
Follow us on Twitter

Quem está on-line

Nós temos 20 visitantes e 1 membro online
  • alderramamarc
Banner
Banner
Beatriz Fagundes :: A Presidenta PDF Imprimir E-mail
Escrito por Marcio Leal   
Ter, 02 de Novembro de 2010 13:41

Porto Alegre, 01 de novembro de 2010.

"Prefiro o barulho da imprensa livre ao silêncio das ditaduras." Dilma Rousseff, a primeira mulher eleita ao mais importante cargo da República "Peço aos pais e mães de meninas que olhem nos seus olhos e digam 'você pode'", disse a primeira presidenta eleita do Brasil, Dilma Rousseff, em seu primeiro discurso à nação. Correspondendo a todos os nossos anseios, em seu primeiro discurso como candidata eleita ao mais importante cargo da República, Dilma manteve a humildade solicitando o apoio de todos os setores da sociedade brasileira a colaborarem para um governo saudável que venha ao encontro das necessidades de todos os cidadãos, abolindo para sempre uma sociedade de "escolhidos".

"Farei um governo com ampla liberdade de imprensa, religiosa e de culto. Vou zelar pela observação criteriosa dos direitos humanos e zelarei pela nossa Constituição", disse Dilma no início do discurso. Noutro momento de sua fala, ela voltou ao tema: "Prefiro o barulho da imprensa livre ao silêncio das ditaduras". Dilma afiançou que "honrará as mulheres" e esta é uma concepção absolutamente necessária. Uma sociedade civilizada jamais poderia manter as concepções femininas alijadas dos processos de governo. Com 99,14% das urnas apuradas, Dilma obteve mais do que 55% dos votos válidos, enquanto José Serra alcançou 44%. Para muitos, o Brasil se dividiu, considerando o resultado do pleito. Mas, se formos considerar as propostas de campanhas, vamos identificar José Serra como um candidato em oposição à eleição de Dilma Rousseff, mas que se comprometia em continuar com todos os projetos do presidente Lula.

Aqui no Rio Grande do Sul, dizem alguns que o candidato José Serra conseguiu, com o apoio de partidos, promover uma "virada", já que perdeu para Dilma no primeiro turno. A diferença final entre os candidatos foi próxima a 120 mil votos, o que, vamos considerar, não significa nada em um universo de oito milhões de votantes. Ou seja, metade do eleitorado gaúcho, em um empate absolutamente técnico (alguém pode me explicar um empate que não seja técnico?), votou no Serra que prometeu continuar com os projetos de Lula, e a outra metade resolveu não mexer nos projetos quando o time está ganhando, promessa feita por Serra durante toda a campanha - no primeiro e segundo turnos, o tucano prometeu continuar com todas as políticas do presidente Lula.

Nossa presidenta eleita, Dilma Rousseff, terá, a partir de hoje, alguns dias de merecidas férias, e depois passará a exercitar a velha arma da democracia: a paciência para fazer acordos, conciliar interesses e garantir a governabilidade. O "poste", segundo o candidato derrotado José Serra, aprendeu com o mestre (Lula) o desempenho dos discursos; agora, terá que enfrentar o poder conciliador dos grandes comandantes.

Por último, só para constar, especialmente à massa ignara e preconceituosa de "sulistas" que desprezam nossos irmãos do Norte e Nordeste: antes de saírem deitando falação sobre as "diferenças" entre o "sul desenvolvido e superinteligente", verifiquem a contagem dos votos. Só para pagarem um mico menos pegajoso e, desculpem, fedorento. Já observaram como as pessoas preconceituosas fedem? Ainda não?! Os dados dos números não correspondem aos discursos preconceituosos dos "sulistas" que desprezam os nordestinos ou, para ser mais exata, o "resto" do Brasil, já que os "meio-quilo" se consideram superiores! Dilma é a primeira presidenta do Brasil. Que todos possam comemorar! Se não, paciência!

Fonte: Jornal O Sul (SC), em 01/11/2010

 
 
Banner
Banner